Projeto do TJC coordenado pela AMATRA XV vence Prêmio ANAMATRA de Direitos Humanos 2016

O Projeto Graffiti na Escola foi o vencedor na categoria Programa Trabalho, Justiça e Cidadania

A Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho - ANAMATRA, sediou, nesta quarta-feira (9/11), a última etapa da 7ª edição do Prêmio Anamatra de Direitos Humanos. O júri elegeu os vencedores nas categorias Cidadã, Imprensa e Programa Trabalho, Justiça e Cidadania (TJC). Também coube ao júri a deliberação sobre os trabalhos indicados pela Comissão Julgadora do Prêmio para receber menção honrosa.

As reuniões do júri contaram com a presença do Presidente da ANAMATRA, Germano Siqueira, e da Diretora de Cidadania e Direitos Humanos, Noemia Porto, que conduziu os trabalhos. Integraram o júri do Prêmio, nesta edição, a Ministra do Tribunal Superior do Trabalho - TST, Delaíde Arantes, o Conselheiro do Conselho Nacional de Justiça - CNJ e Desembargador do Trabalho Gustavo Alkmin, e a Jornalista da área de Justiça e Cidadania no Rio de Janeiro/RJ, Adriana Cruz.

Nesta edição, o Prêmio recebeu 188 inscrições. A Diretora de Cidadania e Direitos Humanos comemorou o grande número de inscritos e a riqueza dos temas abordados nos trabalhos. "É importante ver a grande participação no Prêmio, que tem o compromisso de difundir ações com foco na cidadania e nos Direitos Humanos no mundo do trabalho, além de estimular, cada vez mais, a realização e divulgação dessas iniciativas”, ressaltou Noemia Porto.

Na categoria Programa Trabalho, Justiça e Cidadania (TJC) o Projeto "Graffiti na Escola" coordenado pela AMATRA XV foi o vencedor.



Confira mais detalhes, vencedores e menções honrosas:

CATEGORIA PROGRAMA TJC:

VENCEDOR:

Título do trabalho: Graffiti na Escola

Participante: EMEFEJA Pierre Bonhomme

Cidade:  Campinas (SP)

Resumo:  Incluir, através da arte, os temas do Programa Trabalho, Justiça e Cidadania, no ensino de jovens e adultos. Esse é o objetivo do projeto Graffiti na Escola. O trabalho foi idealizado pela equipe pedagógica da escola Pierre Bonhomme, em Campinas, sob a coordenação da AMATRA XV. A iniciativa contou com a participação do grafiteiro Gustavo Bordin, que ministrou oficinas de arte para os alunos. O trabalho voluntário do grafiteiro é reconhecido no Brasil e no exterior, em especial no resgate de jovens em situação de risco que cumprem medidas socioeducativas.

CATEGORIA CIDADÃ

VENCEDOR:

Título do trabalho: Eugênia, a Engenheira

Participante: Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros

Cidade: Rio de Janeiro/RJ

Resumo: Projeto usa histórias em quadrinhos para debater direitos e deveres dos trabalhadores. Com ilustrações de Pater e periodicidade mensal, os quadrinhos retratam temas sobre direitos trabalhistas e sociais, como privatizações, terceirizações, racismo, transfobia, violência, entre outros. A primeira história em quadrinhos relatou uma situação de assédio moral no trabalho, que atinge diretamente as mulheres. A personagem Eugenia é uma mulher negra, engenheira de 40 anos com 15 de trabalho em uma empresa pública, recém-divorciada e tem dois filhos: uma pré-adolescente e um menino de 9 anos. 

Clique aqui e saiba mais.

MENÇÃO HONROSA: 

Título do trabalho: Acadêmico Padrinho-Cidadão

Participante: Comissão de Combate ao Trabalho Infantil e de Estímulo à Aprendizagem do TRT 8

Cidade: Belém/PA

Resumo: O projeto visa a preparar alunos-afilhados, na faixa etária de 14 a 19 anos, para o mercado de trabalho, municiando-os de conhecimentos e qualificações básicas necessárias ao ingresso no mundo do trabalho. A iniciativa objetiva também protegê-los das consideradas piores formas de trabalho infantil, estimulando seus estudos, seu crescimento pessoal e profissional; além de contribuir para firmar a consciência social de que o investimento na juventude também é uma das melhores formas de se garantir o desenvolvimento sustentável do país e de toda a sociedade.

CATEGORIA IMPRENSA

Subcategoria Impresso (Jornal, Revista ou Internet){

VENCEDOR:

Título do trabalho: Escravos da moda

Veículo: Revista Galileu – Editora Globo

Participante: Thiago Tanji

Cidade: São Paulo/SP

Resumo: Com 80 bilhões de peças de roupa vendidas por ano, a indústria da moda mantém uma fórmula que combina o consumo desenfreado com a exploração da mão de obra.  Reportagem mostra a realidade escondida pode detrás da produção de grandes grifes brasileiras e estrangeiras: jornadas de trabalho extenuantes, baixos salários, excessiva cobrança por metas e até mesmo flagrantes de trabalho forçado e infantil.

Clique aqui e saiba mais. 

Subcategoria Televisão

VENCEDOR: 

Título do trabalho: As eternas escravas

Veículo: TV Record

Participante: Gustavo Costa – produção e reportagem/editor executivo, Lúcio Sturm – repórter, Marcelo Magalhães – editor, Domingos Meirelles - apresentador, Michel Mendes – repórter cinematográfico, Valmir Leite – auxiliar técnico, Caio Laronga – editor de pós-produção, Natália Florentino – finalização, Rafael Ramos – sonorização, Renato Battaglia – arte e Rafael Gomide – chefe de redação. 

Cidade: São Paulo (SP)

Resumo: Reportagem mostra um escândalo no estado de Goiás que revela uma das faces mais cruéis da humanidade: a escravidão de crianças negras e pobres. Repórteres levantaram documentos e investigaram crimes bárbaros: meninas são amarradas, torturadas e transformadas em servas domésticas e sexuais. Por uma ironia do destino, as vítimas são justamente descendentes de escravos. As meninas, entre 9 e 14 anos de idade, vivem no quilombo Kalunga, região próxima à Brasília. Denúncias incluem “leilões” de menores virgens por 100 reais e os acusados são políticos e pessoas ricas de Cavalcante, uma cidade vizinha ao quilombo Kalunga.

Clique aqui e saiba mais 

MENÇÃO HONROSA:

Título do trabalho: A rota da castanha: exploração sem limite

Veículo: TV Record

Participantes: Daniel Motta – Repórter e Produtor, Ana Haertel – produtora, Fabiana Lopes – Editora, Leopoldo Moraes – Repórter Cinematográfico, Rodrigo Jaka – Repórter Cinematográfico, Renê Batista – Repórter Cinematográfico, Jorge Talmon – Repórter, Lucas Augusto – Editor de pós-produção, Caio Laronga – Editor de pós-produção, Christiano Lima – Editor de pós-produção, Natália Florentino – Finalização, Alexandre Ormond – Editor de Arte, Rafael Ramos – Sonorização, Gustavo Costa – Editor Executivo, Rafael Gomide – Chefe de Redação e Pablo Toledo – Editor-Chefe

Cidade: São Paulo/SP

Resumo:  Por detrás de uma das mais prósperas produções de castanha de caju do mundo existe uma rede de exploração de adultos e crianças. Reportagem especial do Câmera Record, sob o comando do repórter Daniel Motta e equipe, denunciou as condições desumanas de trabalho a que são submetidos homens e mulheres que sobrevivem da quebra da castanha no agreste brasileiro. Os repórteres revelaram também como várias gerações de trabalhadores rurais são explorados na produção desse produto nobre e caro, que está presente à mesa dos brasileiros. Para famílias inteiras, não se submeter a esse ciclo de exploração significa passar fome.

Clique aqui e saiba mais

Subcategoria Rádio

VENCEDOR:

T
ítulo do trabalho: Marcada para lutar

Veículo: Rádio CBN

Participante: Hebert Lenin de Araújo Pereira

Cidade: João Pessoa (PB)

Resumo: Retrata o surgimento das ligas camponesas na região Nordeste na década de 60, durante as turbulências políticas e sociais. As organizações lutavam pelos direitos dos trabalhadores rurais.

MENÇÃO HONROSA: 

Título do trabalho: Série “À margem”

Veículo: Jornal Correio da Paraíba (Rádio 98 FM)

Participante: Mislene Maria dos Santos 

Cidade: João Pessoa (PB)

Postagem: OK

Resumo: A série relata, em quatro reportagens, a realidade do mercado de trabalho para travestis e transexuais. A narrativa mostra problemas como prostituição e informalidade, mas também fala de políticas públicas relativas ao tema e de exemplos de superação por meio do estudo e trabalho.

Subcategoria Fotografia

VENCEDOR:

Título do trabalho: Série Rio Negro: piaçabeiros reféns do isolamento e da escravidão

Veículo: Jornal Amazonas em Tempo

Participante: Sergio Ricardo de Oliveira

Cidade: Manaus/AM

Resumo:  Fotografia ilustrou matéria do jornal Amazonas em Tempo sobre a vida de homens e mulheres que trabalham com o extrativismo de fibras de piaçava no norte do Estado do Amazonas, refém do isolamento, das condições degradantes de trabalho e até mesmo do trabalho forçado. 



 



 A cerimônia de premiação acontecerá no dia 24 de novembro, no Museu de Arte do Rio – MAR, no Rio de Janeiro. No total serão distribuídos R$ 60 mil em prêmios. Além do dinheiro, o vencedor em cada categoria/subcategoria receberá a estatueta inspirada no "Cilindro de Ciro".

*Com informações da ANAMATRA




Publicado: 11/11/2016



MAPA DO SITE

AMATRA XV Transparência Informações Serviços Publicações
• Sobre
Diretoria Atual
Comissões
   Extraestatutárias

Galeria de Presidentes
• Magistrados
Estatuto
ESMAT 15 –
   Escola Associativa

• TJC –Trabalho, Justiça
   e Cidadania
Radar da Cidadania

• Atas
    •
    •
    •
    •





Calendário Institucional

Eventos

Notícias
• Associados
    •
    •
    •
• Arquivos de Decisões
    •
    •

Links Jurídicos
• Listas de Discussões
    •
    •


Webmail
Artigos Científicos
Jornal

Obras de Associados
Revista
TV AMATRA XV


Copyright © 1998~2018 • AMATRA 15 - Todos os direitos reservados
Rua Riachuelo, 473 conjs. 21 e 22 (Bosque) - CEP: 13015-320 - Campinas (SP) - Brasil
Fone: (19) 3251-9036 - E-mail: falecom@amatra15.org.br

Desenvolvido por