Justiça do Trabalho é destaque em três categorias do Prêmio Conciliar é Legal

Diretor de Prerrogativas da ANAMATRA representou a entidade na premiação, no CNJ

A ANAMATRA, representada pelo Diretor de Prerrogativas e Assuntos Jurídicos, Luiz Colussi, prestigiou no dia 6 de fevereiro, no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a solenidade de premiação da oitava edição do Prêmio Conciliar é Legal. Foram 12 categorias, entre elas os tribunais que alcançaram os maiores índices de conciliação nos 12 meses anteriores à campanha e os tribunais que mais conciliaram durante a Semana Nacional de Conciliação, ocorrida em 2017.

A Justiça do Trabalho foi destaque em três categorias. Na categoria TRT, o Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região foi reconhecido pelo trabalho dos Pautões de Conciliação Facilitada. O projeto foi desenvolvido pela equipe do Centro Judiciário de Solução de Conflito e Cidadania de Mossoró (CEJUSC-Mossoró), sob a coordenação do Juiz Magno Kleiber Maia.

Na categoria juiz individual, a vencedora foi a Juíza Kathleen Mecchi, Coordenadora do Centro Judiciário de Métodos Consensuais de Solução de Disputas de segundo (CEJUSC-JT) grau do TRT da 15ª Região, pelo projeto “Antecipando a Execução no TRT15”. O CEJUSC-JT de 2º Grau promove audiências de conciliação de processos julgados pelas Câmaras do Tribunal, no período compreendido entre o trânsito em julgado e a baixa à vara do trabalho de origem. As partes são intimadas para juntar os cálculos de liquidação e, com o acompanhamento de um perito contábil judicial, discutem esses cálculos. Se chegam a um consenso, é celebrado o acordo.

Já na categoria Instrutores de Mediação e Conciliação a Juíza do Trabalho Wanda Lúcia Ramos, da 7ª Vara do Trabalho de Goiânia, foi agraciada pelo desenvolvimento da prática “Curso de Capacitação e Aperfeiçoamento de Conciliadores e Mediadores Judiciais no TRT18”.

Clique aqui para ver todos os premiados.

Sobre o prêmio -
 Lançado em 2010, o prêmio tem como objetivo identificar, disseminar e estimular ações de modernização na Justiça, sobretudo aquelas que contribuem para a pacificação de conflitos. Podem participar do Prêmio os tribunais, magistrados, instrutores de mediação e conciliação, instituições de ensino, professores, estudantes, advogados, usuários, empresas ou qualquer ente privado, mediante a apresentação de práticas auto compositivas executadas individualmente ou em grupo.

O Prêmio Conciliar é Legal está alinhado à Resolução CNJ nº 125/2010, que dispõe sobre a Política Judiciária Nacional de tratamento adequado dos conflitos de interesse no âmbito do Poder Judiciário. Entre os critérios analisados pelo CNJ estão: eficiência, restauração das relações sociais, criatividade, replicabilidade, alcance social, desburocratização e satisfação do usuário.

*Notícia originalmente publicada no site da ANAMATRA.



 




Publicado: 09/02/2018



MAPA DO SITE

AMATRA XV Transparência Informações Serviços Publicações
• Sobre
Diretoria Atual
Comissões
   Extraestatutárias

Galeria de Presidentes
• Magistrados
Estatuto
ESMAT 15 –
   Escola Associativa

• TJC –Trabalho, Justiça
   e Cidadania
Radar da Cidadania

• Atas
    •
    •
    •
    •





Calendário Institucional

Eventos

Notícias
• Associados
    •
    •
    •
• Arquivos de Decisões
    •
    •

Links Jurídicos
• Listas de Discussões
    •
    •


Webmail
Artigos Científicos
Jornal

Obras de Associados
Revista
TV AMATRA XV


Copyright © 1998~2018 • AMATRA 15 - Todos os direitos reservados
Rua Riachuelo, 473 conjs. 21 e 22 (Bosque) - CEP: 13015-320 - Campinas (SP) - Brasil
Fone: (19) 3251-9036 - E-mail: falecom@amatra15.org.br

Desenvolvido por